terça-feira, 25 de abril de 2017

SINTOMAS DE INFARTO QUE NÃO DEVEMOS IGNORAR...

FONTE: , Equipe eCycle (http://www.msn.com).

Fique atento aos sintomas! Eles podem se manifestar de maneiras diferentes em homens e mulheres.


Existem alguns sinais que o corpo nos dá antes de um infarto acontecer... Quanto antes os reconhecermos, maior a probabilidade de salvar sua própria vida ou a de alguém próximo. Existem algumas diferenças entre os sintomas nos homens e nas mulheres. 

Aprenda a reconhecê-los:

Sintomas de infarto nas mulheres.

  • Fadiga: algumas mulheres sentem muito cansaço, mesmo tendo ficado sentadas o dia todo. Andar de um lado da casa para o outro já pode ser cansativo.
  • Dor de estômago: as mulheres podem sentir uma pressão abdominal intensa e uma forte dor de estômago antes de sofrerem um ataque cardíaco.
  • Dor no peito: a dor no peito pode não incindir sobre um ponto específico do lado esquerdo do peito. É possível que se estenda a qualquer outro ponto da região, causando rigidez.
  • Tonturas, náusea e falta de ar: esses sintomas podem ocorrer de forma conjunta, de um momento para outro e sem nenhuma razão aparente.
  • Suor repentino: o suor repentino é mais comum nas mulheres do que nos homens. Algumas mulheres podem confundir esse sintoma com o estresse.
  • Dores no pescoço e na mandíbula: para mulheres, a dor no braço esquerdo pode não aparecer, mas elas podem sentir dores no pescoço e na mandíbula - a dor pode ser súbita ou gradual.

Sintomas de infarto nos homens.

  • Dor torácica: a dor torácica é um dos sintomas mais comuns infarto, principalmente para os homens. Neste caso, pode ocorrer no centro do peito ou no sentido direita-esquerda, em direção ao coração. Sensações de peso no peito de forte pressão também são relatadas.
  • Dores nos braços: a dor no peito se espalha não só para os braços, ombros e cotovelos, como também para o pescoço, mandíbula e abdômen. Às vezes a dor no peito não ocorre, mas a dor em pelo menos um dos braços ou nas costas entre os ombros sim.
  • Fadiga: a sensação de cansaço e fadiga pode ser um indicativo de que um infarto está para acontecer. Pode aparecer alguns dias ou semanas antes do infarto.
  • Tosse: a tosse persistente pode ser um indicativo de que um ataque cardíaco está por vir, por causa da acumulação dos fluídos nos pulmões. Tosse com sangue pode ocorrer.
  • Ânsia: o ataque cardíaco pode causar um estado de ânsia e medo de morrer, tudo ao mesmo tempo, podendo também causar taquicardia.
  • Insônia: antes de ter um ataque cardíaco, uma pessoa pode ficar meses sofrendo de insônia, ansiedade e agitação - essa é uma forma que nosso corpo mostra que algo está errado.
  • Fraqueza: dias antes de um ataque cardíaco, o indivíduo pode sentir uma imensa sensação de fraqueza.
  • Batimentos cardíacos rápidos e irregulares: batidas rápidas e irregulares no coração, principalmente se forem acompanhadas de fraqueza, tontura e dificuldades para respirar podem ser indícios de ataque cardíaco, arritmia ou insuficiência cardíaca.
  • Tonturas e vertigens: tonturas e vertigens podem ser indícios que um ataque cardíaco está por vir.
  • Suores frios: suores frios que surgem de repente, mesmo que não tenha havido atividade física intensa, podem ser um indicativo de ataque cardíaco.
  • Inchaço: inchaço em pés, tornozelos, abdômen, pernas, um súbito aumento de peso ou a perda de apetite também são sintomas de risco.
  • Indigestão: sentir desconfortos no estômago, como azia e dificuldades na digestão, podem ser outro indicativo.
  • Problemas respiratórios: dificuldades para respirar e falta de ar, possivelmente acompanhados de dores no peito podem ser indicativos de ataque cardíaco ou de insuficiência cardíaca.
  • Náuseas e falta de apetite: a náusea e a falta de apetite podem ser sinais de que um infarto está por vir, podem ocorrer vômitos um pouco antes ou durante o ataque cardíaco.

Como prevenir um ataque cardíaco.

  • Pare de fumar;
  • Pratique pelo menos 30 minutos de atividade física por dia;
  • Mantenha o peso corporal saudável, tome cuidado com o sobrepeso;
  • Tenha uma alimentação saudável, com mais alimentos ricos em nutrientes, invista nas verduras e frutas e coma menos carne e frituras;
  • Faça exames de rotina regularmente para checar o estado da sua saúde.

HIPERTENSÃO PODE REDUZIR EM 16 ANOS A EXPECTATIVA DE VIDA...

FONTE: TRIBUNA DA BAHIA.


A hipertensão é silenciosa. O paciente com pressão alta não sente nada.

Comemorado em 26 de abril, o Dia Nacional de Prevenção e Combate à Hipertensão Arterial é uma importante data para falar sobre a doença capaz de reduzir em 16 anos a expectativa de vida do paciente que não segue tratamento adequado. O médico do Hospital Geral Roberto Santos (HGRS), em Salvador, Luiz Sérgio Alves Silva, que é especialista em cardiologia e hipertensão arterial, esclarece as principais especificidades do assunto.
Hipertensão arterial, conforme explica o profissional, é uma doença na qual a força que o sangue exerce sobre a parede das artérias está elevada a maior parte do tempo. Ou seja, acima de 140 mmHg, quando o coração se contrai (sístole; pressão máxima), ou acima de 90 mmHg, quando o coração se relaxa (diástole).
“A hipertensão é silenciosa. O paciente com pressão alta não sente nada. Muitas vezes, a doença é diagnosticada quando acontece uma complicação como infarto do miocárdio ou acidente vascular cerebral, o popular derrame. Daí, a importância de, ao menos uma vez ao ano, aferir a pressão arterial com um profissional da saúde”, afirma Luiz Sérgio.
Segundo o cardiologista, os idosos são mais propensos  a desenvolver hipertensão arterial: “se uma pessoa chega aos 69 anos de idade com pressão normal, o risco de ela ficar hipertensa até o final da vida é de 90%. A doença afeta tanto homens como mulheres. Crianças também podem desenvolver hipertensão, mas a frequência é menor que em adultos”.
Na capital baiana, a frequência de hipertensão na população adulta de 20 anos ou mais de idade é de 30%, sendo maior nas mulheres (32%) que nos homens (32%). Em negros, o número cresce: 32% em homens negros e 41% nas mulheres negras.
 Os fatores de risco de hipertensão podem ser classificados como genéticos ou adquiridos. No caso de um ou ambos os pais serem hipertensos, o risco do paciente se tornar hipertenso aumenta. É a herança genética. Já entre os fatores de risco adquiridos, o mais importante é a obesidade. No entanto, deve-se considerar consumo excessivo de sal, consumo baixo de potássio (presente nos vegetais, principalmente crus), consumo baixo de cálcio (leite e derivados), sedentarismo, consumo excessivo de bebida alcoólica e o envelhecimento.
“Enquanto não ocorrer uma complicação da hipertensão, o paciente vive normalmente. Mas, se acontecer um acidente vascular cerebral, o dano físico pode ser permanente e grave, a exemplo de paralisias. Outra complicação relevante é o infarto do miocárdio, que causa grande número de mortes no nosso país e no estado da Bahia”, avalia o médico do HGRS.

O tratamento da hipertensão pode ser farmacológico, com remédios chamados de anti-hipertensivos, e não farmacológico, que envolve mudança do estilo de vida. As adequações na rotina são tão importantes quanto o uso de medicações. Um hipertenso que não se trata tem, segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), uma redução na expectativa de vida de até 16,5 anos.

RIVAIS COLOCARÃO INVENCIBILIDADE À PROVA NOS BA-VIS...

FONTE: Vitor Villar (vitor.villar@redebahia.com.br).

Vitória está imbatível no Campeonato Baiano, enquanto Bahia ainda não perdeu pela Copa do Nordeste.
Na opinião do torcedor, o que dá mais moral para a maratona de clássicos que começa nesta quinta-feira (27), no Barradão: estar invicto na Copa do Nordeste, como o Bahia, ou imbatível no Campeonato Baiano, como o Vitória?

Na prática, o Leão foi quem se deu bem porque a invencibilidade lhe deu a vantagem de jogar por resultados iguais na decisão do estadual. Dono da melhor campanha do regional, o Esquadrão, por sua vez, jogará na Fonte Nova o segundo Ba-Vi das semifinais.
“Claro que é um ‘plus’, mas também não podemos jogar com o regulamento embaixo do braço, contando com essa vantagem. Quando você entra para empatar, a chance de dar zebra é muito grande. Temos que fazer o nosso trabalho, entrar lá e jogar para vencer”, avaliou o zagueiro Fred sobre a situação do rubro-negro.
“Nosso foco principal é na Copa do Nordeste, nos dois próximos jogos, o primeiro na casa deles e o segundo na nossa. Então é claro que vai favorecer a gente, por jogar num estádio cheio, com a torcida  nos apoiando. Espero fazer dois grandes jogos e conseguir a classificação”, rebateu Régis sobre o lado tricolor.
Ambos  chegam a esse momento decisivo com duas derrotas na temporada. Curiosamente, uma de cada foi para o mesmo adversário, o Paraná, pela Copa do Brasil.
Moralmente, o Leão pode se orgulhar de ter sido o responsável por acabar com a invencibilidade do rival no estadual. Afinal, a outra derrota do Bahia na temporada foi para o Vitória, 2 x 1 na Fonte Nova.
“A gente sabe que ainda tem muita coisa em jogo. Vencemos o primeiro clássico na casa do adversário, mas entendo que isso é passado. Talvez tenha ficado um gosto amargo do lado de lá, mas agora cada time quer defender o seu. Serão quatro jogos importantes para a sequência do ano”, continuou Fred.
Para o tricolor Régis, os jogos vindouros serão mais importantes: “Agora são decisões. Quem estiver melhor, mais concentrado e preparado, vai conseguir os triunfos. Esperamos chegar com a cabeça tranquila e conseguir vencer na casa deles”.
Defesas em alta.
Graças a sua invencibilidade, o tricolor chega às semifinais do Nordeste com apenas dois gols sofridos, ambos no triunfo por 4 x 2 sobre o Sergipe, com Anderson no gol. A equipe de Guto Ferreira tem seis vitórias e dois empates no torneio, 83% de aproveitamento.
Pelo Baiano, o time sofreu mais quatro gols, também com Anderson na meta. Ou seja, Jean, o camisa 1 titular de quinta-feira, segue imbatível nos dois torneios que o tricolor ainda disputa.
A zaga rubro-negra foi bem mais vazada no Nordestão. Foram nove gols sofridos – quatro apenas na derrota por 4 x 2 para o Botafogo-PB –, todos com Fernando Miguel.

O aproveitamento do Leão no Nordestão é de 79%. Ao todo, graças à invencibilidade no estadual, sobe para 82%.

APÓS SOFRER 16 ABORTOS JOVEM REALIZA SONHO DE SER MÃE...

FONTE: Redação/RedeTV! (http://www.redetv.uol.com.br).



Após sofrer 16 abortos, uma mulher de Cambridgeshire, na Inglaterra, pôde finalmente realizar o sonho de ser mãe após médicos descobrirem o que vinha causando a interrupção da gravidez. Diagnosticada com uma cicatrização em excesso inexplicada no abdômen, Kayleigh Wood acreditava que nunca poderia dar à luz e precisou passar por uma cirurgia para corrigir o problema.

Ao jornal britânico "Daily Mail", a jovem de 26 anos confessou que embora o alto número de abortos, nunca desistiu de realizar o sonho de ter um filho. Mesmo após a cirurgia, ela perdeu um bebê e foi pega de surpresa quando, na última gestação, nasceu Reggie, seu primeiro filho.

"Costumava chorar o tempo todo por causa de todos as crianças que perdi, mas segurar Reggie em meus braços no final foi a coisa mais maravilhosa e ajudou a maquiar toda a devastação pela qual passei", contou Kayleigh.
Wood confessou ainda que demorou para os médicos identificarem o seu problema e descobrir o que vinha acontecendo com seu corpo. "Ficava chocada quando engravidava e semanas depois sofria um aborto. Costumava voltar ao médio e eles me diziam que era 'apenas uma dessas coisas que acontecem' e nada era feito para descobrir porque eu estava perdendo tantos bebês", contou.
Foi somente depois de sua 15º gestação interrompida que um especialista descobriu que a jovem sofria com cicatrização excessiva no abdômen. "Eles não sabiam o que causava a cicatrização, mas ele a removeram na esperança que isso me ajudasse nas futuras gestações", completou a jovem. Primeiro filho da mulher, Reggie nasceu em outubro em 2016.

CLIQUE CIÊNCIA: É VERDADE QUE UM CHICLETE ENGOLIDO FICA 7 ANOS NO CORPO?...

FONTE: *** Cintia Baio, Colaboração para o UOL (http://noticias.uol.com.br).

Eles grudam na parede do intestino, entopem a entrada de comida no estômago, podem ficar até sete anos dentro do corpo e há até quem diga que podem chegar na membrana que envolve o coração. Quem nunca ouviu pelo menos uma dessas histórias sobre quão perigoso seria engolir um chiclete?

Os estragos pareciam assustadores, mas a verdade é que podemos respirar aliviados: não há goma de mascar ou qualquer outro alimento que permaneça tanto tempo dentro do corpo humano.

Para se ter uma ideia, um bom prato de arroz, feijão e carne leva de 2 a 3 horas para ser digerido e cair no intestino grosso.

A outra boa notícia é que a ingestão não causa qualquer dano para o corpo, pelo menos na grande maioria dos casos. A maior parte do chiclete que entra no organismo sai da mesma maneira, passando intacto pelo processo de digestão e, consequentemente, pelas enzimas digestivas.

Isso acontece porque, basicamente, o chiclete é formado por dois grandes grupos de compostos. Um deles é constituído por açúcar, corantes, aromatizantes e conservantes. O outro se trata de uma goma-base, produzida a partir, por exemplo, de derivados de petróleo, como resinas e parafinas. Antigamente, a base era feita de látex retirado de algumas árvores.

Enquanto o primeiro grupo é responsável por dar sabor ao doce, a goma-base nada mais é do que aquela massa que ficamos mastigando por horas.


E por que ele não se desfaz como outros alimentos?
Já na boca, nossa saliva fará uma tentativa de digerir a goma durante a mastigação. As enzimas até podem conseguir dissolver a casca e os corantes do primeiro grupo de compostos que falamos acima, mas digerir a goma-base é impossível para qualquer das enzimas, ácidos ou movimentos gástricos do trato digestivo.

Logo, a goma passa intacta pelo estômago até ser eliminada com o bolo fecal.

Mas faz mal?
Engolir acidentalmente um chiclete não faz mal. Por se tratar de algo pequeno, facilmente será eliminado pelo organismo. Além disso, a goma tem a vantagem de ser flexível e macia.

No entanto, os médicos já catalogaram alguns casos de distúrbios de comportamento onde a criança engole frequentemente e excessivamente a goma. Em casos assim, o hábito pode levar a uma obstrução intestinal por causa da massa que se forma e que não consegue ser eliminada junto com as fezes.

Um dos estudos mais conhecidos sobre o tema foi publicado em 1998 pela revista americana Pediatrics. A investigação mostra um menino de pouco mais de quatro anos de idade que sofria de constipação. A criança chegava a mastigar e engolir até sete chicletes por dia. O resultado foi justamente a formação de uma massa composta basicamente de goma e que obstruia a passagem das fezes. Outras duas situações semelhantes —uma com uma criança de quatro anos e outra de apenas um ano e meio— também foram relatadas no estudo.

Também não faz bem!
O ato de mastigar um chiclete traz mais prejuízos que benefícios. A mastigação induz o estômago a preparar-se para a digestão do alimento que está na boca. Para isso, usa as enzimas salivares e mais suco gástrico. A fabricação excessiva desses componentes pode causar, por exemplo, gastrite.


Veja outras 3 curiosidades sobre a goma:

• Por que o chiclete não gruda nos dentes?
Para grudar, o chiclete precisa de uma superfície porosa e áspera (como embaixo de uma mesa). Nossos dentes têm uma superfície bastante lisa, compacta e úmida, já que a saliva o deixa escorregadio.

• Mastigar chiclete nos deixa relaxados?
A ação muscular de mastigar ajuda a concentração, alivia a tensão e relaxa os músculos. Foi por estas e outras razões que o exército dos EUA forneceu goma de mascar aos seus soldados desde a Primeira Guerra Mundial, contribuindo para que ela se tornasse cada vez mais popular.

• Chiclete pode causar gases?
Quando mastigamos chiclete, acabamos engolindo uma quantidade maior de ar. Junte a isso, a ingestão dos adoçantes artificiais que fazem parte de algumas gomas.


*** Especialista consultada: Cylmara Gargalak Aziz, pediatra especialista em gastropediatria, membro do corpo clínico do Hospital Sírio Libanês. Especialista em gastropediatria/ American Chemistry Society / Sociedade Americana de Pediatria.

OVERTRAINING: QUANDO VOCÊ EXAGERA...

FONTE: Feminimo e Além, site parceiro da Tribuna da Bahia Online, TRIBUNA DA BAHIA.


A louca corrida pela estética a qualquer custo pode levar o corpo à exaustão e causar sérios problemas.



Para tudo nesta vida existe um limite. Para as atividades físicas não seria diferente, concorda? Já ouviu falar esta palavra em conversas médicas: overtraining?
Pois é, com essa louca corrida pela estética a qualquer custo, existem pessoas ultrapassando os limites de seus corpos e caindo na rede das dores e problemas que vem através desse exagero na atividade física.
Conheci uma criatura que sempre que comia um pouquinho (pouco mesmo) além da conta no final de semana, passava a semana seguinte exagerando, e muito, no treino procurando uma tal de “compensação”.
Daí o corpo não tem o repouso necessário e pronto: dá-se o erro! Antigamente, ouvíamos muito esse termo no mundo dos atletas (principalmente ginastas e nadadores) que aumentavam o tempo de treino e preparo físico, para um maior rendimento em suas competições. Hoje em dia, até os corredores de maratona pelas cidades, sofrem em peso desse mal.
“Na medida certa, o exercício físico provoca várias alterações fisiológicas, metabólicas, musculares e psicológicas que melhoram a qualidade de vida do indivíduo. Porém, no sentido inverso, o excesso pode provocar uma doença que torna esse mesmo indivíduo cansado, desanimado, fadigado, inapetente, suscetível às lesões e o faz desistir de fazer exercícios.” (Fonte: Dicas de Treino).
É bom deixar claro que isso não é apenas uma condição de um tempo “doente”. A pessoa pode demorar meses para se livrar de uma situação mais delicada, como é o caso do “Overtraining adsonóideo”.
Ou seja, não estou falando de um resfriado comum. “Sendo diagnosticado em tempo, sem que haja complicações mais sérias, principalmente as provocadas pelos distúrbios hormonais, o quadro felizmente é reversível. Outra providência necessária é uma dieta adequada a suprir as deficiências nutricionais adquiridas durante o processo”, comentou o fisiologista Turibio Barros em entrevista ao Globo Esporte.
Por tantas vezes, a pessoa pode não entender que está neste processo de cansaço e perda física. Os especialistas ressaltam alguns sinais com os quais você deve se preocupar e procurar um médico para o diagnóstico correto. São eles:
1- Ganho de gordura sem explicação
2- Insônia
3- Falta de apetite sexual
4- Ansiedade e insônia
5- Doenças que são pegas com mais facilidade
Claro que existem outros sintomas, mas estes são os de mais rápida conclusão quando aparecem sem causa forte aparente, fora o treinamento.
Vale lembrar que além da parada total de exercício físico (caso seja diagnosticado com o Overtraining Adsonídeo), a alimentação é uma parceira inestimável nesta recuperação. Por isso consulte um trio de especialistas: nutrólogo, cardiologista, fisioterapeuta. Se por acaso o médico achar que você precisa de mais especificidades, não deixe de lado o conselho.

Faça esporte, não seja sedentário, mas não exagere na dose. Não vale à pena o resultado.

EFEITO PLACEBO TAMBÉM FUNCIONA PARA CORAÇÃO PARTIDO, MOSTRA ESTUDO...

FONTE: *** Jairo Bouer (http://doutorjairo.blogosfera.uol.com.br).


Você está com o coração partido porque acabou de sair de um relacionamento? Faça algo que você acredita ser útil para aliviar sua dor emocional. Qualquer coisa. De acordo com uma pesquisa recém-publicada, o efeito placebo pode influenciar regiões cerebrais associadas à regulação emocional e, como consequência, diminuir a percepção do sofrimento.

Rompimentos amorosos costumam ser experiências extremamente dolorosas, e funcionam como gatilho para problemas psicológicos e até suicídio. Segundo os autores do estudo, da Universidade de Colorado Boulder, nos Estados Unidos, esse tipo de sofrimento está associado a um risco 20 vezes maior de depressão.

Como há evidências de resultados positivos do placebo para diversas doenças físicas, a equipe decidiu avaliar se a crença em algo que pudesse ajudar a superar um rompimento teria efeito também. Para isso, os pesquisadores selecionaram 40 voluntários que tinham sido rejeitados pelos parceiros até seis meses antes da abordagem.

Os participantes foram convidados a ir ao laboratório levando a foto do ex, ou da ex, e também a de um amigo do mesmo sexo. Enquanto passavam por um exame de ressonância magnética funcional, les tinham que olhar a foto e contar como tinha sido a separação. Em seguida, tinham que olhar a foto do amigo. Por último, ainda foram submetidos a um estímulo doloroso, um toque quente no antebraço. Em todos os casos, eles tinham que dizer como se sentiam, numa escala de 1 (muito mal) a 5 (muito bem).

A primeira constatação do estudo é que as regiões do cérebro ativadas pela dor física e pela emocional foram as mesmas. Ou seja: levar um fora causa uma dor real.

Em seguida, todos foram convidados a usar um spray nasal. Para metade do grupo, os pesquisadores disseram que era apenas uma solução salina. Já a outra metade ouviu que aquilo era um analgésico poderoso para combater dores emocionais.

De volta à ressonância, os participantes voltaram a ver as fotos dos ex e, de novo, foram submetidos ao estímulo doloroso no braço. O grupo que recebeu o suposto analgésico não apenas sentiu menos dor física, como se sentiu melhor emocionalmente, e a resposta do cérebro se modificou. As áreas envolvidas na modulação de emoções e de substâncias ligadas ao bem-estar tiveram atividade aumentada, enquanto a área associada à dor ficou mais fraca.

O estudo foi financiado pelo Instituto Nacional de Saúde Mental norte-americano, com apoio adicional da Fundação Nacional de Ciência, na Suíça, e os resultados foram publicados no Journal of Neuroscience.

    

REFORMA DA PREVIDÊNCIA PODE SOFRER MAIS MUDANÇAS NO SENADO, DIZ ANASTASIA...

FONTE:, CORREIO DA BAHIA.


Ele evitou responder se será possível votar as mudanças nas regras da aposentadoria ainda no primeiro semestre, como quer o governo.
O senador Antônio Anastasia (PSDB-MG) disse na segunda-feira (24) que a proposta de reforma da Previdência poderá sofrer mais mudanças no Senado, mas considerou que o "grosso" das alterações na matéria já foi atendido pelo governo. "É claro que o governo tem feito movimentos na tentativa de tentar arredondar a proposta já na Câmara, com sugestões que eventualmente venham do Senado. Mas que nós teremos emendas no Senado a um projeto como esse, acho que isso é mais do que natural dentro do processo legislativo. Agora, se as emendas serão ou não aprovadas, são outros quinhentos", assinalou o tucano, após participar do fórum Espanha-Brasil na zona sul da capital paulista.
Anastasia evitou responder se será possível votar as mudanças nas regras da aposentadoria ainda no primeiro semestre, como deseja o governo. "Sou muito conservador em prognósticos. Então, não posso antecipar qual é o prazo", comentou.
Questionado se mudanças feitas pelos senadores, o que faria a reforma voltar à Câmara, não atrapalhariam o plano do Planalto, o tucano respondeu que o Senado, como casa revisora do Congresso, não pode ficar refém disso. Também destacou que papel do Senado seria "apequenado" caso seus membros não pudessem apresentar emendas ao texto.
"O governo acena com a notícia de que votará no primeiro semestre, mas isso depende de que dia virá ao Senado. É claro que os senadores terão também suas propostas" afirmou Anastasia. "Em matérias mais polêmicas, a tendência é que as duas casas se manifestem", acrescentou.

O senador disse ainda que seu partido apoia a reforma da Previdência, mas ponderou que "algum detalhe" do texto poderá ser alvo de sugestões. Apesar disso, ele salientou que, após as mudanças negociadas na Câmara, há convergência "bem maior" em torno da proposta do que havia anteriormente.

MEGA-SENA ACUMULA E PRÊMIO CHEGA A QUASE R$ 100 MI...

FONTE: Sorte Online (http://www.msn.com).


A Mega-Sena voltou a acumular! Aconteceu, na noite do último sábado (22), o sorteio do concurso 1923 e, novamente, nenhum apostador acertou as seis dezenas.

Confira as dezenas: 09 - 34 - 42 - 45 - 46 - 59.

De acordo a Caixa Econômica Federal, a Quina contou com 110 acertadores, e cada um levou R$ 50.376,11. Outras 9351 apostas ganharam a Quadra, com R$ 846,56 para cada.

Próximo sorteio.
O próximo sorteio acontece na quarta-feira (26) e o prêmio segue o maior do ano. Quem descobrir todas as dezenas do jogo leva para casa R$ 97 milhões.


O sorteio será realizado às 20h (horário de Brasília) e o valor da aposta mínima é de R$ 3,50.

CIENTISTAS DESCOBREM MELHOR ATIVIDADE FÍSICA PARA RETARDAR O ENVELHECIMENTO...

FONTE:, Paulo Nobuo (http://www.msn.com).


Não chega a ser segredo o fato de que a prática regular de atividades físicas contribui para a manutenção do peso, fortalecimento dos músculos e para a saúde em geral. Mas saiba que existe um tipo específico de atividade que pode até mesmo retardar o envelhecimento.

De acordo com um estudo realizado pela Clínica Mayo, nos Estados Unidos, os exercícios intensos são os mais indicados para ajudar no bom funcionamento das células musculares, diminuindo assim os danos causados pelo avanço da idade.

Treino de alta intensidade retarda o envelhecimento.


Publicada na revista científica Cell Metabolism, a experiência contou com a análise de células de 72 homens e mulheres de até 30 anos ou mais de 64 anos. Todos os voluntários eram saudáveis, mas sedentários.

Os participantes do estudo foram distribuídos em cinco diferentes grupos, aleatoriamente: um dos grupos não se exercitava e os outros quatro seguiam rotinas de exercícios diferentes, como musculação intensa várias vezes por semana, musculação leve, treino intervalado de alta intensidade (HIIT) três vezes por semana em bicicleta, além de 30 minutos pedalando em bicicletas ergométricas em ritmo moderado.


Depois do período de 3 meses, os pesquisadores realizaram novos exames e testes com os voluntários, incluindo biópsias de células musculares. Os resultados mostraram que, entre os mais jovens que se exercitavam intensamente, 274 genes passaram por mudanças de níveis de atividade, em comparação com 170 genes dos que praticavam treinos moderados e 74 dos que apenas fizeram musculação.


O estudo ainda observou que, entre os mais velhos, os voluntários que levaram uma rotina intensa de treinos apresentaram melhora em cerca de 400 células, comparado com apenas 33 dos que faziam musculação e 19 entre os voluntários que se exercitaram de forma moderada.

6 FORMAS DE EVITAR QUE UMA FASE DE "SECA" SEXUAL DETONE A RELAÇÃO...

FONTE: Heloísa Noronha, Colaboração para o UOL (http://estilo.uol.com.br).


Praticamente todos os casais atravessam uma fase de sexo morno em algum momento da relação. Ainda mais quando se é mais velho ou se está junto há bastante tempo. Fique tranquilo: nem sempre isso significa que o relacionamento corre o risco de naufragar. Em boa parte das vezes, trata-se de um problema circunstancial -- mas que não deve ser subestimado. Confira as dicas para evitar que a "seca" prejudique sua vida a dois:

Aceite que fatores externos influenciam.
De acordo com a psicóloga Gisela Castanho, autora de “Psicodrama com Casais” (Ed. Ágora), vários fatores podem contribuir para a fase de "seca". "Há desde questões como monotonia na relação, disfunções hormonais e doenças até fatores externos como estresse, sobrecarga no trabalho, dificuldades financeiras e problemas familiares, que drenam a energia do casal, sobrando pouco ânimo para os bons momentos que a sexualidade pode proporcionar”, afirma.

Converse sobre o assunto.
Seja qual for o motivo da fase sexual morna, é importante que não fazer de conta de que ela não existe. “Uma atenção maior deve ser dada quando alguém está sofrendo com isso. Um dos dois pode ficar ansioso, ciumento, irritado ou desconfiado”, diz Gisela. Quando os dois encaram a questão, podem dar suporte afetivo ao outro, respeitar o momento e não exigir demais.

Para o representante comercial Álvaro Marcos de Souza, de 41 anos, de Santo André (SP), ter uma conversa franca com a parceira foi fundamental. “Há cerca de dois anos, vivi uma fase muito complicada no trabalho. A chefia mudou e a pessoa que entrou infernizava a equipe com metas inatingíveis, reuniões intermináveis e prazos absurdos. Fiquei irritado, estressado, doente, e isso se refletiu no meu casamento”, admite. O apoio da mulher deu a força de que ele precisava. “Ela entendia que, na maior parte das vezes, eu precisava de uma boa noite de sono, pois não tinha clima ou forças para nada”, conta. Ele acabou demitido, mas conseguiu uma recolocação melhor pouco tempo depois e a paz e o tesão no casamento voltaram.

É preciso se dedicar.
Para a psicóloga Verônica Veras, do Rio de Janeiro (RJ), quando a relação está no início tudo é novo e instigante. “O tesão é automático e necessário para que a intimidade se estabeleça, mas nos casais de longa data as coisas não são tão fáceis assim. É preciso dedicação extra a esse assunto para que ele se mantenha como parte importante da relação”, observa.

Admita sua responsabilidade.
Em certos casos, os envolvidos não conseguem admitir a própria responsabilidade no problema e se defendem jogando a culpa no outro. “O que era algo possível de resolver acaba se tornando um monstro destruidor de relacionamentos, ficando cada vez mais difícil a solução”, pondera Verônica. Muitas pessoas não se sentem confortáveis em abrir o jogo -- mas é preciso se esforçar. “O silêncio faz com que o outro acabe se sentindo culpado, menos amado e desejado. E, assim, o afastamento passa a ser inevitável”, afirma a psicóloga.

Pergunte-se se não há um problema maior.
A "seca" merece atenção quando é um sintoma de uma relação que não dá conta de si mesma e em que as partes não estão se entendendo. Muitas vezes não transar serve como termômetro para problemas maiores que possam estar “escondidos” -- talvez o relacionamento já esteja detonado e o casal apenas ainda não admita o fim. “Uma crise com baixa da atividade sexual é natural e ocasionalmente pode acontecer. Entretanto, um período prolongado de desinteresse é uma luz vermelha que se acende. Há algo na relação que precisa ser visto ou revisto”, analisa Márcia Modesto, terapeuta de casal e de família do Rio de Janeiro (RJ).

Para a professora Maria Ângela Z. Vieira, 34 anos, de São Paulo (SP), a falta de sexo sinalizou que ela não tinha perdoado uma traição do marido. “Achava que tinha superado e, para mim, não havia o menor problema em transar só de vez em quando. Foi só quando ele me confrontou que me dei conta de que eu não queria tanta intimidade assim porque não conseguia mais confiar 100% nele”, relata ela, que ainda tentou resgatar a relação, mas acabou optando por se separar.

Se estiver longe, abuse da criatividade.

Caso precise lidar com o afastamento por conta de uma viagem de estudo ou trabalho, aposte em recursos como Skype e WhatsApp. “A comunicação, quando acontece, é o maior afrodisíaco”, diz Gisela. Essas artimanhas ajudam a exercitar a criatividade e a explorar o aspecto lúdico do amor e do sexo e a “seca” acaba servindo para fortalecer o romance. Que o diga a advogada carioca Pâmela Meneses, 32 anos. Para driblar a saudade do noivo, que passou seis meses na Índia devido a um projeto profissional, ela abusou da imaginação. “Além de sexo via webcam, eu também inventava uns números de striptease baseados em filmes e pedia para ele gravar com a própria voz uns contos eróticos cheios de sacanagem. A gente se divertiu muito e isso não deixou a relação ficar estagnada. Quando ele retornou ao Brasil, o sexo ficou ainda melhor porque parecia que tínhamos atingido um outro nível de intimidade”, revela.