quinta-feira, 22 de junho de 2017

NO INVERNO, CUIDADO COM A PELE DEVE SER REDOBRADO...

FONTE: TRIBUNA DA BAHIA.


A dermatologista Andrea Botto, da clínica que leva o seu nome, localizada no Hospital da Bahia, destaca que idosos e crianças são os que mais sofrem com os efeitos do frio na pele.

O inverno chegou e junto com o período junino e, para quem pensa que os cuidados com a pele podem ser deixados de lado devido às baixas temperaturas, é bom ficar atento: a estação pede atenção redobrada. Com o tempo frio e seco, a pele transpira menos e as pessoas tomam mais banhos quentes,  diminuindo a produção do óleo natural da pele e favorecendo não apenas o ressecamento, mas também o surgimento de algumas doenças e irritações cutâneas. 
A dermatologista Andrea Botto, da clínica que leva o seu nome, localizada no Hospital da Bahia, destaca que idosos e crianças são os que mais sofrem com os efeitos do frio na pele. Como neste período as pessoas permanecem mais tempo em ambientes fechados e sem circulação de ar, o momento é favorável para aumentar a exposição da pele às bactérias, alergias respiratórias e doenças, entre elas, as dermatites seborreica e atópica, psoríase, herpes simples e a ictiose vulgar, que causam incômodo, coceira, descamação e devem ser monitoradas por um especialista.
Já que a ação do vento e o clima seco evaporam a água do corpo, manter a pele hidratada exige uma rotina de bons hábitos diários, que vão desde a ingestão de água à alimentação saudável, com muitas verduras e frutas para deixar a pele mais bonita. A aplicação e reaplicação do protetor solar, com fator de moderação específico para cada tipo de tez, não podem ser esquecidas, pois os raios ultravioletas continuam trazendo efeitos nocivos à pele mesmo em dias mais nublados. ”Cada tipo de epiderme pede um cuidado  diferente. 
Neste período, pelo menos uma vez ao dia, sempre após o banho, pessoas com peles normais e levemente ressecadas devem hidratar o corpo. Aquelas com maior tendência ao ressecamento devem aplicar os cremes de 2 a 3 vezes ao dia. A pele deve estar sempre limpa e a quantidade de creme deve ser adequada para não deixar a pele oleosa”, explica a médica. A dermatologista pede atenção não apenas para a área do rosto: lábios, unhas, orelha, extremidades e cabelos também devem ser hidratados e protegidos. “Os banhos quentes e muito demorados devem ser evitados, pois contribuem para a diminuição do hidratante natural produzido pelo organismo para proteger a nossa pele. A partir do segundo banho do dia, caso não tenha realizado atividade física, o uso de sabonetes deve ser apenas nas áreas de dobras e pés”, orienta. 

Festejos juninos.
Outro fator prejudicial à pele é a excessiva exposição à fumaça de fogueiras no período do São João. A fumaça gera um processo inflamatório que resulta no entupimento de glândulas sebáceas, resultando em espinhas, cravos, desidratação, descamação e dermatite, além de causar danos à cutícula do cabelo.

AZEITE AJUDA A COMBATER ALZHEIMER...

FONTE:, TRIBUNA DA BAHIA.


O azeite de oliva extravirgem ativa os processos de proteção do interior do cérebro.

O consumo rotineiro de azeite de oliva extravirgem protege da demência e do Alzheimer: esta é a principal conclusão de um estudo realizado por italianos recém publicado na revista científica "Annals of Clinical and Translational Neurology".
Conduzida pelo professor Domenico Praticò, da Lewis School of Medicine da Universidade de Temple, nos Estados Unidos, a pesquisa também teve a colaboração de Luigi Iuliano, da Universidade Sapienza de Roma.
Os estudiosos chegaram à conclusão que o azeite de oliva extravirgem ativa os processos de proteção do interior do cérebro e assim consegue combater doenças degenerativas além de ajudar na preservação da memória. Para isso, os pesquisadores usaram como cobaias ratos que iriam desenvolver Alzheimer.
Os animais foram divididos em dois grupos e em um deles foi adicionado o azeite na dieta. Tempos depois, os ratos que tinham consumido o produto, de origem italiana, cotidianamente estavam com um cérebro mais saudável e lúcido do que os mamíferos que não tiveram o azeite na sua alimentação.
Em particular, no cérebro dos primeiros, as sinapses (pontos de comunicação entre os neurônios) ainda estavam íntegras e o mecanismo de proteção chamado "autofagia", no qual as células "limpam" o cérebro de detritos tóxicos, estava mais ativo.
Assim, no primeiro grupo estavam presentes no cérebro um número menor de peptídeos beta amiloide e de proteínas tau que, em grande quantidade, indicam demência.
"Graças à ativação da autofagia, a memória e a integridade sináptica foram preservadas e os efeitos patológicos nos animais destinados a desenvolver o mal de Alzheimer foram reduzidos significativamente. Essa é uma descoberta muito importante já que nós suspeitamos que a redução da autofagia marca o início do mal de Alzheimer", disse Praticò.

O próximo passo da equipe, segundo Praticò, será observar se o azeite ainda é eficaz se for colocado na dieta em período posterior, quando o Alzheimer já foi detectado. 

DE XILITOL AO AÇÚCAR DE COCO, VEJA VANTAGENS E RISCOS DOS ADOÇANTES DA MODA...

FONTE: Juliana Parente, Colaboração para o UOL, (http://estilo.uol.com.br).


Adoçar bebidas e receitas nunca gerou tantas dúvidas. Isso porque as opções de açúcar e adoçantes estão cada vez mais variadas (xilitol e taumatina são as novidades mais comentadas), além de terem se popularizado versões mais exóticas de açúcar, como o extraído do coco ou da beterraba.

A grande diferença em relação ao açúcar refinado começa pelo preço – ironicamente bem mais salgado. E, se é mesmo o caso de pagar mais caro, o jeito é entender melhor que vantagens cada um desses produtos oferece – todas os produtos contêm riscos, benefícios e composição calórica para ajudar quem se preocupa com o controle de peso. A título de comparação, uma colher de chá de açúcar refinado (equivalente a 5g) contém 20kcal.

Acompanhe as dicas da nutricionista Daniela Jobst e da endocrinologista Maria Fernanda Barca, fazendo a escolha certa entre seis produtos que vêm ganhando destaque nas prateleiras.

1. Xilitol (1 colher de chá ou um sachê de 5g: 12kcal).

O que é: açúcar encontrado nas fibras das frutas, vegetais e cogumelos.

Vantagens: indicado como substituto do açúcar e de outros adoçantes por ser uma fonte natural, é encontrado na fibra de vegetais. Pode ser utilizado na culinária em preparações de doces e para adoçar bebidas, já que seu gosto é muito semelhante ao açúcar comum.

Riscos: em altas dosagens pode acarretar desconfortos gástricos, inchaço e diarreia. A quantidade máxima diária capaz de gerar diarreia é muito variável e ainda causa muita controvérsia entre os nutricionistas. Mas, para homens, o limite mais aceito é de 0,37g por quilo de peso. No caso das mulheres este número é de 0,42g por quilo de peso. Na prática clínica, no entanto, as nutricionistas observam que doses muito menores já desregulam o intestino e recomendam que o consumo não ultrapasse 15mg de xilitol por quilo de peso tanto para homens quanto mulheres.

2. Stevia (1 colher de chá ou um sachê de 5g: 0kcal).

O que é: adoçante natural, extraído de uma planta chamada Stevia rebaudia.

Vantagens: é uma alternativa natural de adoçar preparações e bebidas, pois não contém calorias. Muito usada no tratamento do diabetes e em dietas de emagrecimento.

Riscos: para tornar o paladar mais agradável, alguns fabricantes adicionam outros tipos de edulcorantes, prejudiciais à saúde, na fórmula.

3. Agave (1 colher de chá ou um sachê de 5g: 9kcal).

O que é: chamado de néctar de agave ou xarope de agave é extraído de um tipo de cacto originário do México e sua consistência é parecida com o mel.

Vantagens: é uma opção natural e pode ser um substituto do mel para a população vegana que não apresenta risco de diabetes, triglicérides altos ou sobrepeso.

Riscos: contém uma grande quantidade de frutose, daí a recomendação de uso moderado. A frutose, quando metabolizada, dá origem à gordura rapidamente (o fígado quebra esse açúcar, convertendo em triglicerídeos, prejudiciais à saúde quando em excesso). Não substitui nenhum tipo de adoçante, porque é rico em frutose e causa sobrecarga no fígado (como acontece com a sacarose).

4. Açúcar de coco (1 colher de chá ou um sachê de 5g: 19kcal).

O que é: o açúcar de coco é extraído a partir das palmas do coco, portanto retira-se a seiva, que passa para o processo de desidratação por aquecimento até chegar à moagem/trituração.

Vantagens: tem índice glicêmico bem mais baixo do que o açúcar refinado - o que evita os picos de insulina no organismo -, além de contar com vitaminas do complexo B, cálcio, zinco, ferro, fósforo e magnésio. É uma alternativa ao açúcar refinado por ter uma qualidade nutricional superior, mas não é alternativa para quem precisa de adoçantes por causa de diabetes ou controle de peso, por exemplo.

Riscos: se o consumo for exagerado, oferece os mesmos riscos à saúde que o açúcar de cana, como o descontrole da glicemia sanguínea e aumento de gordura corporal.

5. Açúcar de beterraba (1 colher de chá ou um sachê de 5g: 13kcal).

O que é: açúcar extraído da beterraba por um tipo de moagem, em que se extrai a sacarose. Após isso, a calda deve ser limpa e adicionam-se substâncias alcalinas. O caldo transforma-se em xarope e, por um processo de aquecimento, formam-se cristais. Ele ainda difícil de encontrar no Brasil e, muitas vezes, vendido sob a denominação de “farinha”.

Vantagens: nenhuma, comparando com o açúcar de cana. Todos os nutrientes contidos na beterraba perdem-se com o processo de refinamento.

Riscos: os mesmos riscos que o açúcar da cana, como diabetes e acúmulo de gordura corporal.

6. Taumatina (1 colher de chá ou um sachê de 5g: 0,03kcal).


O que é: adoçante natural, extraído de uma flor africana, que pode ser aquecido em altas temperaturas sem sofrer alterações em sua composição.

Vantagens: não contém calorias e não deixa gosto na boca, além de oferecer alto poder adoçante: é cerca de 1.300 vezes mais doce que o açúcar da cana.

­­­­­­­­­­Riscos: consumir taumatina associada a outros adoçantes, em geral ela vem associada a stevia e maltitol (que, em excesso, não é absorvido pelo intestino e causa diarreia, como acontece com o xilitol). Leia o rótulo antes de comprar para ter certeza do que você está consumindo. Uma alternativa é mandar manipular taumatina 100%, com prescrição de nutricionista.

BLOGUEIRA FRANCESA MORRE COM EXPLOSÃO DE TUBO DE CHANTILLY...

FONTE: CORREIO DA BAHIA Da Redação.
Rebecca Burguer usava a garrafa que prepara chantilly quando o equipamento explodiu e a atingiu no peito.
A explosão acidental de um sifão de chantilly foi a causa da morte de uma blogueira fitness francesa, a Rebecca Burguer, de 33 anos, conhecida no Instagram pelos vídeos de exercícios físicos que publicava na rede social.
Segundo informações policiais do município de Mulhouse, no leste da França, a blogueira fazia o uso de um sifão (uma garrafa que prepara a espuma de chantilly de maneira instantânea) em sua casa, no último sábado (17), quando a parte superior do equipamento explodiu e a atingiu no peito. 
A morte de Rebecca ocorreu pouco depois do acidente, devido a gravidade dos ferimentos. As autoridades locais investigam o caso.

Este é o terceiro caso de acidente com o aparelho. Em 2014, duas pessoas foram vítimas na França, mas sobreviveram.

Segundo informações do site "Hora 1", o Instituto Nacional de Consumo já havia feito um alerta sobre o risco de uso deste tipo de equipamento culinário da marca "Ard'Time". De acordo com o Instituto, a tampa de plástico não é segura e pode não suportar a pressão feita pelo gás carbônico durante a preparação do creme dentro do recipiente.

FARMÁCIAS DE MANIPULAÇÃO AINDA NÃO AVALIARAM LIBERAÇÃO DE EMAGRECEDORES...

FONTE:, TRIBUNA DA BAHIA.


O projeto agora vai para a sanção do presidente Michel Temer.

A Associação Nacional de Farmacêuticos Magistrais disse ainda não ser possível avaliar quais serão os desdobramentos da liberação do uso de emagrecedores no País para o setor. A Câmara dos Deputados aprovou um projeto que permite o retorno de medicamentos a base de femproporex, anfepramona e mazindol, substâncias que foram proibidas em 2011 pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). O projeto agora vai para a sanção do presidente Michel Temer.
Em nota, a entidade disse estar acompanhando o tema de forma atenta, mas não adiantou se irá iniciar as tratativas para a formulação desses remédios no País. "Qualquer que seja a decisão, o setor continuará a cumprir de forma estrita as exigências legais, sempre com foco na promoção da saúde da população", declarou a associação.
Caso seja sancionada pelo presidente, a lei permitirá que farmácias de manipulação importem o medicamento para vendê-lo em dosagens preparadas individualmente para cada paciente. A Anvisa avalia que, pela proposta aprovada pela Câmara dos Deputados, para essa operação não seria necessário o registro prévio de medicamentos similares no Brasil.
As regras para a indústria são diferentes. Somente poderão ser produzidos medicamentos com emagrecedores depois de serem registrados na Anvisa. Para isso, será preciso que os fabricantes interessados apresentem estudos indicando a eficácia e segurança do medicamento. 
Na terça-feira, 20, o presidente-executivo do Sindicato da Indústria de Produtos Farmacêuticos do Estado de São Paulo (Sindusfarma), Nelson Mussolini, criticou o texto aprovado na Câmara. Ele afirmou que embora existam farmácias de manipulação que trabalham com seriedade, as regras para o setor são mais flexíveis quando comparadas com a indústria. 

A associação de magistrais, na nota, reagiu ao comentário afirmando que ele demonstra "necessidade de maior conhecimento" e que as regras existentes asseguram o fornecimento de formulação de modo seguro e eficaz.

ÓLEO DE COCO NÃO AJUDA A EMAGRECER E FAZ TÃO MAL À SAÚDE QUANTO MANTEIGA...

FONTE: Do UOL, em São Paulo (http://estilo.uol.com.br).


O óleo de coco ficou famoso como uma opção saudável e foi figurinha repetida em receitas fit e dietas de blogueiras. Mas o produto não é milagroso e nem saudável.

De acordo com um estudo publicado pela American Heart Association (Associação Cardíaca Americana), o óleo de coco tem o mesmo efeito na saúde que gordura animal e manteiga. A substância, que contém ácidos como o mirístico e o ácido láurico, é composta de gordura saturada e por isso pode aumentar o colesterol “ruim”, segundo os pesquisadores.

O relatório mostra que 82% da gordura do óleo de coco é saturada. O percentual é maior do que o da manteiga (63%), da gordura bovina (50%) e da banha de porco (39%).

A associação diz que não há evidências confiáveis de que o óleo de coco seja saudável.

E não é só a associação americana que alerta para as promessas do óleo, a ABRAN (Associação Brasileira de Nutrologia) divulgou um posicionamento oficial desmistificando o uso do produto.

De acordo com a ABRAN, o óleo de coco aumenta o colesterol e há um número muito pequeno de estudos que mostrem seus efeitos no peso corporal em seres humanos.

Uma das poucas pesquisas existentes foi feita com a população de Ilhas do Pacífico e a resposta foi negativa. Aqueles que consumiam quantidades elevadas de coco (63% de energia derivada do coco, quanto o comum na região era 34%), eram mais pesados e tinham mais “dobrinhas” de gordura na região subescapular.

E a lista de associações que condenam o consumo do óleo de coco para emagrecer não para por ai.

Em comunicado, a Sbem (Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia), juntamente a Abeso (Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade e da Síndrome Metabólica), divulgaram que “não há qualquer evidência nem mecanismo fisiológico de que leve à perda de peso” e que se posicionam “frontalmente contra a utilização terapêutica do óleo com a finalidade de emagrecimento”.

Além disso, a ABRAN completa seu posicionamento afirmando que não há estudos clínicos que comprovem a fama que o óleo de coco tem de ser antibacteriano, antifúngico e antiviral. Também não existem provas de que seu efeito ajude portadores de alterações cognitivas, como a Doença de Alzheimer.


Por isso, o melhor é saber o que você está comendo do que acreditar em milagres para a perda de peso.

COMISSÃO APROVA A VOLTA DA OBRIGATORIEDADE DOS EXTINTORES ABC...

FONTE: , Da Redação, (http://www.msn.com).


Quase dois anos após a polêmica da obrigatoriedade ou não dos extintores de incêndio do tipo ABC em automóveis, a Comissão de Viação e Transportes da Câmara dos Deputados voltou a aprovar o retorno do extintor como item obrigatório.

Os extintores do tipo ABC iriam se tornar obrigatórios a partir de outubro de 2015. Na época, a medida provocou um grande aumento nas vendas do equipamento. Duas semanas antes do prazo, porém, a resolução 556/15 do Contran tornou sua presença apenas facultativa.

Na época, o Contran justificou a decisão com um estudo de 90 dias que constatou a baixa incidência de incêndios dentro do volume total de acidentes com veículos, e que o uso do extintor sem preparo representaria mais risco ao motorista do que o incêndio em si.

O novo texto do Projeto de Lei 3404/15 do deputado Moses Rodrigues (PMDB-CE) questiona essa justificativa. Para o deputado, “não é plausível que o Contran, de um momento para outro, entenda que o extintor de incêndio não é mais considerado item de segurança do veículo e decida tornar facultativo o seu uso, deixando vulneráveis os ocupantes dos veículos em caso de incêndio”.

O relator do projeto, o deputado Remídio Monai (PR-RR), concorda com o argumento de Rodrigues. Segundo ele, “

o custo do extintor de incêndio é insignificante em relação ao custo do próprio veículo, ainda mais se considerarmos os benefícios advindos de sua adequada utilização”.

Hoje encontráveis por até R$ 50,00, na época os extintores do tipo ABC chegaram a custar R$ 150,00 devido à intensa procura, ocasionando até mesmo fila de espera e acusações de fraudes.

Logo após a decisão do Contran de tornar o equipamento apenas facultativo (mantendo a obrigatoriedade apenas para veículos de transporte como ônibus, caminhões, triciclos de cabine fechada e veículos destinados ao transporte de produtos inflamáveis), a procura despencou drasticamente.


Após a aprovação pela Comissão de Viação e Transportes, o projeto 3404/15 ainda precisa ser analisado pela Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania antes de ser votado pelo Plenário.

PELE SECA? VONTADE DE COMER GELO? SINAIS QUE SEU CORPO DÁ PARA PEDIR AJUDA...

FONTE: Anna Fagundes, Do UOL (http://estilo.uol.com.br).


Quando pensamos em sintomas, logo vem à mente as condições extremas: dor, manchas, alterações bruscas de saúde. No entanto, nosso corpo muitas vezes manda sinais discretos - ou até mesmo um tanto estranhos - para avisar que alguma coisa não está indo bem com ele.

O clínico geral Paulo Camiz, do Hospital das Clínicas em São Paulo, alerta que o indivíduo deve, em primeiro lugar, saber o que é normal para ele. "Se, por exemplo, você sempre teve cabelo quebradiço ou pele oleosa e de repente houve uma mudança brusca com isso, é necessário verificar o motivo", explica. E, claro, a regra é clara: se perceber algo estranho, consulte um médico.

Pele seca.

Pode ser um sinal de oscilação hormonal - como, por exemplo, a chegada da menopausa. Também pode ser causada por falta de vitamina E, encontrada em peixes e oleaginosas como castanhas-do-pará e nozes.

Cabelo fraco e unhas quebradiças.

Tem mais fio de cabelo solto na escova ou no ralo do banheiro do que de costume? As unhas estão rachando com qualquer coisa? Pode ser carência vitamínica e de minerais. Falta de ferro, por exemplo, é apontada como uma das causas da queda de cabelo, enquanto uma deficiência de vitaminas do complexo B pode levar à fraqueza nas unhas.

Vontade de comer gelo.

Parece desejo de grávida - e, de fato, as gestantes são quem mais sofrem deste sintoma aparentemente bizarro, mas com comprovação científica: trata-se de um sinal de anemia. Não existe uma explicação conclusiva sobre o motivo - alguns estudos apontam que o consumo de gelo ajuda a aliviar inflamações na boca causadas pela falta de ferro no sangue.

Círculos nas irises.

É relativamente comum encontrar "anéis" brancos ou cinzas ao redor das irises em idosos - trata-se de uma condição na maioria das vezes hereditária e que não afeta a visão. No entanto, em pessoas com menos de 40 anos, esses arcos podem ser sinal de colesterol alto. Outro possível causador destes aros é o excesso de cobre no organismo - sintoma, por exemplo, da Doença de Wilson, um distúrbio metabólico que atinge principalmente o fígado.

Sangramento nas gengivas.

Pode ser que você esteja esfregando os dentes com muita força. Pode ser também uma alteração hormonal esperada durante a gravidez Mas, se não for o caso, gengivas inflamadas e que sangram com facilidade podem ser sinal de deficiência de vitamina C (encontrada em frutas cítricas) ou vitamina K (encontrada em feijões, ovos, morangos e vegetais de folhas escuras, como espinafre e couve)

Língua lisa ou muito vermelha.

Existe um motivo para os médicos examinarem sua língua quando você faz um check-up - ela pode indicar se o seu corpo está bem. Uma língua muito lisa, por exemplo, pode indicar carência de ferro na dieta. A mudança de tom também é importante - uma língua vermelha indica falta de vitamina B12 no organismo.

Irritabilidade e insônia.


Além do estresse diário, uma coisa que pode estar causando seu cansaço é falta de magnésio, mineral encontrado em alimentos como nozes, soja, abacate e espinafre, entre outros.

VIAGEM DE AVIÃO AUMENTA RISCO DE 'TROMBOSE DOS VIAJANTES'; SAIBA EVITAR...

FONTE:, Notícias Ao Minuto, (http://www.msn.com).


Viajar acaba sendo a válvula de escape para a vida estressante que levam os moradores das metrópoles. Mas é preciso cuidado, principalmente em viagens longas de avião. “A trombose dos viajantes, ou também conhecida como Síndrome da classe econômica, é uma doença rara, porém muito subestimada considerando que a trombose pode acontecer até horas após o vôo, quando a pessoa já está no seu destino, seja a passeio, trabalho ou retorno para casa”, explica a cirurgiã vascular e angiologista Dra. Aline Lamaita, membro da Sociedade Brasileira de Angiologia e Cirurgia Vascular. “E isso pode ser extremamente perigoso”, alerta.

Segundo a médica, a viagem de avião aumenta esse risco porque permanecer muito tempo parado sem movimentar a panturrilha diminui a velocidade do sangue dentro dos vasos. “Além disso, temos a pressurização da cabine e ar condicionado em geral, que causam uma desidratação com consequente aumento da viscosidade sanguínea (deixando o sangue mais grosso); também bebemos, em geral, pouco líquido para evitar visitas ao banheiro do avião, piorando a desidratação; algumas pessoas gostam de tomar um tranquilizante para dormir durante o voo (o que aumenta mais o imobilismo); e o uso de bebidas alcóolicas piora o quadro”, explica a médica.

A angiologista comenta que os dois primeiros itens já são motivos suficientes para aumentar os riscos. “Mas existem pessoas com agravantes individuais que as deixam mais vulneráveis, como dor na perna, obesidade, tabagismo, uso de hormônios (pílula anticoncepcional), portadores de qualquer tipo de câncer, portadores de Trombofilias (doença do sangue que deixa maior predisposição a coagulação sanguínea) e qualquer condição que aumente a imobilização (gesso, deficientes físicos, fraturas), gestantes, idosos e portadores de varizes.”

Afinal, o que é trombose? — Segundo a Dra. Aline, para explicar a trombose, é necessário entender como funciona a circulação das pernas. “O coração bombeia o sangue de alta pressão que vai irrigar todos os tecidos e depois esse sangue retorna para o pulmão pelo sistema venoso para ser oxigenado novamente. Enquanto o coração é o grande protagonista do sistema arterial, a musculatura da panturrilha é o principal responsável pelo retorno efetivo do sangue para o pulmão”, explica. “Dessa forma, é fácil imaginar que qualquer situação onde a panturrilha não funcione adequadamente vai piorar a circulação, diminuindo a velocidade do sangue dentro das veias”.

A trombose é um termo que se refere à condição na qual há o desenvolvimento de um "trombo", um coágulo sanguíneo, nas veias das pernas e coxas (que entope a passagem do sangue). “Existem situações onde o risco do sangue coagular (virar uma gelatina) dentro das veias aumenta, como lesão da veia, diminuição da velocidade do sangue e aumento da viscosidade sanguínea (o sangue fica mais grosso)”, explica.

Os sintomas — A trombose, de acordo com a Dra. Aline, geralmente vai se manifestar com um quadro de dor na perna, principalmente na panturrilha, associado a inchaço persistente, o que vai levar quase sempre à procura de ajuda médica. “Em casos mais raros um pequeno coágulo pode se desprender e correr pela circulação até chegar ao pulmão, o que os médicos chamam de Embolia Pulmonar e pode causar dor no peito, tosse, cansaço e em casos mais graves a Morte Súbita”, conta.

Dicas para evitar o problema — Algumas medidas muito simples podem evitar o quadro. “Esses deveriam ser hábitos rotineiros para todo viajante”, diz a médica. “Primeiramente, é indicado beber muito líquido, evitar bebidas alcoólicas durante o voo e medicações para dormir (elas diminuem sua mobilidade). Mas a dica principal é movimentar suas pernas enquanto estiver sentado e procurar andar pelos corredores a cada duas horas”, sugere.


Caso o paciente tenha alguma das condições agravantes, o ideal é procurar um cirurgião vascular. “Ele vai orientar se existe a necessidade do uso de meias elásticas durante o voo ou indicar uso de anticoagulantes em casos mais graves”, diz. “Existem meias elásticas de compressão 15-23 mmHG que não necessitam de receita médica e não apresentam contraindicação no uso, que são ótimas ferramentas para quem quer uma ajuda a mais para prevenir o quadro. São uma ótima opção para pacientes jovens, sem doenças associadas e que viajam com muita frequência. Sempre lembrando que se deve seguir as especificações de tamanho da meia e cuidar para que ela seja colocada de forma correta. O uso errado pode ser mais prejudicial que benéfico”, finaliza.

PROBLEMAS EMOCIONAIS AFETAM SUA FOME...

FONTE:, (http://www.msn.com).


O desejo é uma energia que nos motiva a fazer as coisas, como buscar comida, beber água, dormir, etc. Sem ele, não sobreviveríamos por muito tempo. Portanto, o ato de desejar não é errado, mesmo que seja relacionado à comida, como desejar comer algo, saborear e apreciar o alimento. O que não é benéfico é se apegar ao prazer que a comida pode proporcionar e ficar preso no sofrimento: "o doce estava delicioso, quero um segundo pedaço" ou "estou muito cansada hoje, mereço um sorvete".

O comer, quando é impulsionado pelo emocional, está muito relacionado a uma resposta às emoções negativas, como ansiedade, raiva, estresse e depressão - que podem vir disfarçadas de desejo por comida.

Isso pode ocorrer quando a pessoa não sabe diferenciar as sensações no seu corpo desses sentimentos negativos e da fome, ou, ainda, quando usa a comida para aliviar essa sensação angustiante, algo que pode ter aprendido desde cedo, na infância ou adolescência. Nestes casos, os alimentos mais escolhidos por pessoas que estão vivendo uma dessas emoções são os doces e as comidas gordurosas, pois geram prazer e promovem a sensação de saciedade e preenchimento em curto prazo. Mas, como consequência, também ocasionam um ganho de peso.

Comer pode ser uma forma de fugir das emoções conflitantes.
Este modelo, no que diz respeito à forma como você se alimenta, pode ter sido aprendido há muitos anos, com a cultura, costumes familiares, pressão de grupos sociais, propagandas, etc. e se instalou como um hábito no seu dia a dia, que funciona para distrair você, evitar que tenha acesso a essas emoções conflitantes.

Estar atento às ondas de desejo e, principalmente, perceber como elas surgem, é um importante passo. Por exemplo, ao assistir um filme pode ver algum alimento que lhe chama atenção, ou passar na porta de uma padaria e sentir o cheiro de pão. De repente, surge essa vontade que faz você parar e comer determinada comida, sem realmente notar se era essa a escolha que queria, que seu corpo precisava, ou se estava com fome.

Como interromper a fome que vem das emoções negativas?
Começar a distinguir entre as sensações no corpo provenientes das emoções e da fome e saciedade é um importante passo. Quando reconhecemos o que estamos sentindo, saímos da reação automática. A prática da atenção plena (Mindfulness) auxilia você a identificar as sensações físicas e diferenciá-las, a fim de dar a possibilidade de escolher.

De acordo com a Ph.D, psicóloga e professora de Mindfulness, Cecilia Clementi: "As intervenções de Mindfulness e Mindful Eating podem ter um importante papel em ensinar como escutar, aceitar e liberar as emoções negativas, ao invés de ter reações impulsivas ou suprimi-las comendo".


Aprender a conectar as emoções e as escolhas alimentares é parte do processo do Mindful Eating (alimentação consciente), reconhecendo o que está presente para você.

MEGA-SENA DESTA QUARTA (21) PAGA R$ 26.572.503,56 A APOSTA VENCEDORA...

FONTE:, (http://www.msn.com).


A Caixa Econômica Federal sorteou na noite desta quarta-feira (21), em Campina Grande, na Paraíba, o concurso de número 1941 da Mega-Sena. Acumulado há três sorteios, o prêmio estava estimado em R$ 27,6 milhões.

Uma única aposta acertou as seis dezenas sorteadas e levará para casa exatos R$ 26.572.503,56. Confira os números: 01 - 09 - 24 - 38 - 48 49.

De acordo com a Caixa Econômica Federal, a Quina contou com 63 bilhetes ganhadores, com prêmio no valor de R$ 38.426,22 cada. Outras 4.313 pessoas fizeram a Quadra e levaram R$ 801,84 cada.

O concurso 1942, que será sorteado no próximo sábado (24), está estimado em R$ 3 milhões.

Como jogar:
Apostar na Mega-Sena e garantir a sua chance de ser o próximo milionário do país é bem simples. Tudo o que você precisa fazer é escolher entre 6 e 15 números disponíveis no jogo. Acertando 6 dezenas você leva o prêmio máximo.

Em caso de 5 ou 4 pontos os valores são menores, mas também bem atrativos!


Acesse o Sorte Online e faça o seu palpite. Se preferir, baixe o app e no seu celular Aindroid, através do Google Play, e jogue pelo seu smartphone.

IMPLANTES DE SILICONE DIFICULTAM MÉDICOS A DETECTAREM PROBLEMAS CARDÍACOS, AFIRMA ESTUDO...

FONTE: Redação/RedeTV! (http://www.redetv.uol.com.br).

Uma das intervenções cirúrgicas mais populares em todo o mundo, o implante de silicone mamário vem tornando mais difícil para médicos detectar ataques cardíacos, segundo apontou um novo estudo apresentado na quarta-feira (21) em Viena, na Áustria, durante conferência da Associação Europeia de Cardiologia.
Segundo o especialista Dr Sok-Sithikun Bun, que liderou as pesquisas e médico cardiologista no Hospital Princess Grace, em Mônaco, os implantes tornavam os testes de eletrocardiograma não confiáveis uma vez que a prótese "está no meio do caminho". De acordo com ele, diagnósticos errados em alguém que tenha sofrido um ataque cardíaco poderia levar a tratamentos consequentemente errados, da mesma forma em pessoas que, de fato, já tenham sofrido um infarto.

"Nós não queremos assustar as pacientes, mas talvez seja sábio fazer um eletrocardiograma antes da operação de implantes mamários. O eletrocardiograma pode ficar nos arquivos e ser usado para comparação caso a paciente precise fazer outro exame igual", afirmou Dr Bun.

Para o estudo, pesquisadores avaliaram mulheres entre 30 e 40 anos, sendo 28 com silicone nos seios e 20 sem. Sem saber quais haviam realizado a cirurgia, especialistas analisaram os resultados dos eletrocardiogramas e mais de 35% dos exames das participantes foram classificadas como "anormais".
"Nós acreditamos que os eletrocardiogramas anormais tiveram leitura falha devido aos implantes. Nós temos duas hipóteses: pode ser a composição do implante que age como uma barreira para os sinais elétricos vindos do coração, ou pode ser uma posição ligeiramente diferente dos eletrodos no peito devido aos implantes mamários", continou Dr Bun.
"Os resultados ajudarão aqueles a avaliarem um eletrocardiograma a evitar o risco de falsos diagnósticos. A nossa experiência mostrou que os implantes mamários tornam difícil para ver o coração com a ecocardiografia porque o ultrassom não pode penetrar através do implante", finalizou.

LEI QUE PUNE PICHADORES PRESTES A SER REGULAMENTADA...

FONTE: Matheus Fortes, TRIBUNA DA BAHIA.

Ainda segundo a Secom, o prefeito ACM Neto é a favor de uma legislação que puna aqueles que não respeitam o patrimônio público, no entanto, o chefe do executivo municipal aguardará o parecer da PGM.

O projeto de lei que institui multa a quem for pego pichando imóveis públicos e privados em Salvador ainda será analisado pela Procuradoria Geral do Município (PGM) antes de ser regulamentada. A proposta foi aprovada pela Câmara de Vereadores na última terça-feira (20), e altera a lei municipal 4659/92, que já previa sanções a pichadores. Se regulamentada, o infrator será autuado com multa de R$ 3 mil.
 De acordo com a Secretaria de Comunicação (Secom), será verificada a constitucionalidade da lei, e somente após essa etapa, ao se definir as atribuições de fiscalização, ela será sancionada. Ainda segundo a Secom, o prefeito ACM Neto é a favor de uma legislação que puna aqueles que não respeitam o patrimônio público, no entanto, o chefe do executivo municipal aguardará o parecer da PGM.

 Segundo a Secretaria de Manutenção (Seman), a Prefeitura gasta, em média, R$30 mil por mês na recuperação de monumentos pichados e danificados. Entre os casos com repercussão, estão as duas pichações do monumento de Clériston Andrade ( que teve custos de recuperação de R$17 e R$12 mil) e do Mercado Modelo (cuja recuperação custou R$13 mil), quando pintaram até a fachada.

 “As áreas mais atingidas pelas pichações são aquelas aonde nós temos a maior dificuldade em enraizar o sentimento de pertencimento, justamente do Centro da cidade. São áreas consideradas de passagem. É um desafio da gestão pública combater isso. Temos feito sempre campanhas de conscientização e até mesmo nas inaugurações, o prefeito ACM Neto sempre pede a colaboração da população nesse sentido”, afirmou o secretário da Seman, Marcílio Bastos.

 De acordo com a Secom, a Guarda Municipal ajuda no combate aos pichadores, e sempre que há flagrante, encaminha os infratores para a delegacia, como já aconteceu na Praça do Campo Grande.
 
NOVA LEGISLAÇÃO.
 A lei aprovada na última terça-feira (20) é de autoria do vereador Alexandre Aleluia (DEM). Segundo o parlamentar, o PL moderniza a lei que, regulamentada em 1992, já estava desatualizada. Além do valor da multa, a nova legislação integra o patrimônio privado na lista de imóveis que, ao serem pichados, acarretam multa ao infrator.
 “A lei de 1992 institui a multa em 10 UPFs, indexador que hoje não é mais aplicado e não condiz com a realidade atual”, ressalta o vereador. A nova legislação aponta ainda que as multas serão aplicadas quando o ato lesivo for praticado contra o patrimônio público. Nos casos dos imóveis privados, a multa será aplicada quando não houver autorização do proprietário.
 A lei ainda prevê que os cidadãos que se acharem lesados pelas pichações em suas propriedades solicitem providências à autoridade municipal por escrito, pela internet ou por telefone.

 “É uma lei que tem o objetivo de coibir atividades futuras e tem uma proposta educativa. As pichações se convertem num prejuízo muito grande, seja para o poder público, ou para o proprietário de um imóvel particular, além de que contribui negativamente para o aspecto do ambiente, ele fica degradado”, destacou o vereador.  

PROFESSORA É PROIBIDA PERMANENTEMENTE DE LECIONAR APÓS CASO EXTRACONJUGAL COM ALUNO...

FONTE: Redação/RedeTV! (http://www.redetv.uol.com.br).


Uma professora casada da cidade de Bradford, na Inglaterra, foi permanentemente proibida pelas autoridades de lecionar após manter relacionamento de nove meses com um de seus alunos.
Segundo informações do jornal inglês "Daily Mail", Amena Nazam-Khan, de 36 anos, dava aula na instituição de ensino há seis anos quando seduziu um aluno de 18 anos. Amena chegou a enviar imagens nuas para o jovem através do Facebook e o convidou para sua casa, onde mantiveram relações sexuais.
Em uma audiência do Conselho Nacional de Ensino e Liderança de Convery que ocorreu recentemente, Amena Nazam-Khan, que se envolveu com o jovem em 2015, foi proibida de voltar a dar aulas por toda a vida. Promotor responsável pelo caso, Alan Meyrick afirmou que a professora não demonstrou se sentir arrependida pelo caso extraconjugal.


"O juri não considera que a Sra Nazam Khan demonstrou qualquer remorso por suas ações e o impacto sobre o aluno. Seu remorso é em grande parte para o impacto que teve sobre sua família e si mesma", declarou.

JOVEM USA CRIATIVIDADE PARA PROTESTAR CONTRA CÓDIGO DE VESTIMENTA RÍGIDO DE ESCOLA...

FONTE: Redação/RedeTV! (http://www.redetv.uol.com.br).


Uma adolescente de apenas 18 anos descobriu um jeito criativo de se vingar após reclamações de que havia posado para o álbum de fotos do ano com os ombros expostos.
Estudante de uma escola que tem um rígido código de vestimentas em New Jersey, nos Estados Unidos, Victoria DiPaolo foi informada que usar shorts, decotes ou mesmo os ombros de fora poderiam ser uma forma de "distração".
A fim de protestar contra a imposição da instituição, Tori, como é apelidada, vestiu um top mostrando o colo para as imagens do álbum de fotos anual da escola e aproveitou para deixar um recado: "Desculpe, meus ombros distraíram você de ler essa citação?", escreveu ela no espaço dedicado a acompanhar a fotografia.

Ao "Yahoo", a jovem contou que nunca esteve de acordo com o código de vestimenta da escola. "Nos últimos quatro anos, eu e muitos dos meus amigos recebemos reclamações de violações do código de vestimenta por causa de roupas que estavam longe de serem inadequadas. Me tornei um pouco impopular pela escola por brigar com a administração por causa do código de vestimenta", afirmou Victoria, que completou: "É tudo baseado no sexismo, e é completamente irracional".

Desde que foi postada em sua conta do Twitter, a "alfinetada" da adolescente na instituição de ensino rapidamente viralizou e foi compartilhada quase 500 vezes, além de receber mais de mil curtidas.

CRESCIMENTO DO ECOTURISMO E FENÔMENOS NATURAIS PODEM INFLUENCIAR CASOS DE ESQUISTOSSOMOSE, DIZ PESQUISADORA...

FONTE: Thais Borges (thais.borges@redebahia.com.br), CORREIO DA BAHIA.

Novos casos foram relatados na Chapada Diamantina. A pesquisadora Roberta Caldeira, da Fiocruz de Minas Gerais, é uma das responsáveis por um estudo sobre o genoma do caramujo que é um dos principais vetores da doença.
Os novos casos de esquistossomose contraídos na Chapada Diamantina podem estar associados a diferentes motivos. De acordo com a pesquisadora Roberta Caldeira, da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) de Minas Gerais, uma delas é justamente o crescimento do ecoturismo – que tem acontecido em todo o Brasil. 
“Pessoas que são urbanas e nunca tiveram contato com rio, cachoeira, começam a procurar locais que têm esse tipo de coleção hídrica, como lagoas e poções. Quando essa pessoa procura esses locais, ela nunca é informada, porque a gente também não tem conhecimento de todas as doenças que podem ter ali”, explica Roberta. Ela é uma das responsáveis por um estudo que sequenciou o genoma do Biomphalaria glabrata, o caramujo que é o principal hospedeiro do Schistosoma mansoni, o causador da esquistossomose. 
Mesmo assim, ela reforça que o caramujo – o vetor da doença, no caso – não é o vilão aqui. Segundo Roberta, o problema acontece quando uma pessoa entra em locais onde não deveria entrar. “Se você tem essa invasão seja por lazer, trabalho ou qualquer motivo, você pode estar exposto a esse parasita”.

Além disso, eventos naturais também podem provocar um aumento no número de casos. No ano passado, por exemplo, uma cheia do Rio Santo Antônio, que passa por Lençóis, chegou a invadir casas da região. “Se esse rio transbordou, a primeira coisa que deveria ser feita é investigar se há presença do molusco no rio. Se existia, muito provavelmente, quando o rio transbordou, levou o molusco até locais onde ele não existia. Essa é uma das formas pelas quais o molusco migra, além das aves”. 
Se, nesses novos locais, o caramujo tiver encontrado um ambiente favorável, ele vai ficar por lá. E não importa se apenas um desses animaizinhos tiver migrado: por ser hermafrodita (tem órgãos reprodutores feminino e masculino), um único caramujo pode dar início a uma nova população inteira em uma nova área. E, assim, mais pessoas são infectadas. 
A pesquisadora cita, inclusive, um caso que aconteceu em Porto de Galinhas (PE), alguns anos atrás. Após fortes chuvas, uma lagoa da região transbordou. “Essa lagoa tinha vários caramujos e foco de esquistossomose. Quando ela transbordou, espalhou água doce para a areia, perto das pousadas. Inundou tanto que as pegadas humanas ficaram cheias de água e, nessas águas, tinham caramujos. Pessoas que nem entraram na lagoa, apenas andaram na areia, se infectaram. Não era lago, não era poção, eram pegadas cheias de água”. 
Caramujo transgênico.
O estudo conduzido pela pesquisadora Roberta, assim como pelos pesquisadores Omar Carvalho e José Amorim da Silva foi divulgado em maio deste ano e publicado na revista científica Nature Communications. Durante 15 anos, o grupo deles sequenciou o genoma do caramujo Biomphalaria glabrata. A investigação começou na Fiocruz de Minas, mas, ao longo dos 15 anos, envolveu instituições de 11 países. 
“Quando começamos, em 2002, sequenciar o genoma era o boom da ciência. Só que o genoma dele (o caramujo) foi um pouco mais complexo e demorou por falta de recursos financeiros. Etão, as sequências eram feitas aos poucos”, diz ela. Com o passar dos anos, o grupo também foi realizando desdobramentos dos estudos – a exemplo das diferentes proteínas do Biomphalaria, micro RNAs e vias de processamento diferentes genes. 
“Primeiro, como ciência, a gente busca ter maiores informações sobre o organismo, na busca sempre de ampliar os conhecimentos e ter uma aplicação”. O genoma, como a pesquisadora explica, é uma sequência de quatro nucleotídeos – chamados pelas letras A, C, G e T (representando, respectivamente, adeninas, citosinas, guaninas e timinas). 
Ela faz uma associação com o alfabeto. Só que, ao invés de formar palavras, quando essas letras são combinadas no genoma, elas têm funções específicas – uma dessas funções pode estar ligado ao fato de o Biomphalaria se infectar pelo Schistossoma. “Ele (o caramujo) tem alguma coisa diferente e essa coisa tem que estar no DNA. Agora, a gente vai continuar procurando e comparando com espécies que não transmitem o Schistossoma e ver qual é o gene a que está ligada a resistência do caramujo ao parasita”. 

Se esse gene for identificado, os pesquisadores podem tentar suprimi-lo. Assim, seria ‘criado’ um caramujo transgênico, sem esse gen e que não se infectasse mais. “E a gente pode colocar esses caramujos onde não existem focos na natureza”. No entanto, essa fase da pesquisa pode levar até 10 anos, segundo ela, a depender dos investimentos.